A maioria dos criadores de tecnologia consideraria um teste de segundos uma decepção amarga, mas é um grande sucesso no mundo da energia de fusão. De acordo com Phys.org, o dispositivo de pesquisa avançada de Tokamak supercondutor da Coreia (KSTAR) recentemente estabeleceu um recorde mundial ao manter seu plasma a 180 milhões de graus Fahrenheit superaquecidos por 20 segundos. Isso pode não parecer muito, mas nenhuma máquina de fusão anterior durou mais de 10 segundos nessas condições – até mesmo o KSTAR resistiu por apenas oito segundos em 2019.

A chave era melhorar a barreira de transporte interna que ajuda no confinamento e estabilidade do plasma.

Ainda há muito trabalho pela frente. O objetivo final do KSTAR é funcionar sem parar por cinco minutos em temperaturas extremas até 2025. A descoberta é um passo importante nessa direção, no entanto, e pode ser vital se os reatores de fusão se tornarem uma realidade prática. Isso, por sua vez, poderia ajudar o planeta, reduzindo ainda mais a dependência do carvão e de outras fontes de energia pesadas em CO2.

Leia também  Cingapura é o primeiro país a aprovar a venda de carne produzida em laboratório